24 de abril de 2011

MINHA CANÇÃO DO EXÍLIO

Minha terra tem palmeiras,

Onde canta o sabiá;

Mas aqui na Espanha é tão bom,

Nem falta eu sinto de lá.



Minha terra tem primores,

Que também encontro cá,

Importados e mais caros,

Mas aqui se pode pagar.



Minha terra tem misérias

Que eu não vejo por cá;

Em cismar sozinha à noite,

Mais tristeza encontro eu lá.

Minha terra mostra horrores,

Que doem de magoar;



Minha terra tem belezas

Que não encontro por cá,

Mas aqui tem maravilhas,

Que lá nem dá pra sonhar.

Me perdoa patriazinha

Mas eu tenho que falar:

Aqui na Espanha é tão bom

Nem falta sinto de lá.



Espanha, 1999